Fila para o Bolsa Família: mais de um milhão de pessoas aguardam o benefício

A maioria dos requerentes se encontram nas regiões Sudeste e Nordeste do país. Os grupos familiares na fila de espera do programa atendem todos os requisitos estipulados para a disponibilização do benefício. 

A princípio a intenção do governo era abarcar mais pessoas com  o novo programa que vai suceder o Bolsa Família, contudo, até agora não foram disponibilizados mais recursos para subsidiar o Auxílio Brasil. 

Mais de um milhão de pessoas na fila de espera 

O benefício social do programa Bolsa Familia do governo federal é disponibilizado para pessoas enquadradas nas faixas consideradas de baixa renda. 

Sendo assim, quem está na linha da pobreza e da extrema pobreza deveria ter acesso aos recursos do Programa, mas atualmente não estão tendo acesso ao auxílio. 

A lista de espera para o Bolsa Família é extensa, foram registrados 1.186.755. O número exato foi informado pelo GLOBO, que teve acesso à informação graças a Lei de Acesso à Informação. 

A bandeira para campanha de reeleição do atual presidente Jair Bolsonaro, era o aumento do número de famílias beneficiadas pelo programa de transferência de renda governamental. Contudo, não foram concedidos novos recursos para financiar o Auxílio Brasil. 

Enquanto isso quase 1,2 milhão de pessoas aguardam na fila para ter acesso aos recursos do Bolsa Família, 17% desses indivíduos se concentram no Estado de São Paulo, 10% na Bahia, em Pernambuco 8,9% e 8,5% no  Rio de Janeiro.

Famílias atendem aos critérios exigidos

Esses quase 1,2 milhão de indivíduos se encaixam nos parâmetros para a participação no programa, além de que, também possuem inscrição no Cadastro Único que é uma das premissas do Bolsa Família. 

As normas preveem renda por pessoa de R$ 89,00 e para de R$178,00 por pessoa para famílias com gestantes, crianças e jovens até 17 anos.

Ter inscrição e informações em dia no Cadastro Único. Só é mantido o benefício quem cumpre com as condições como, famílias com membros em fase escolar com idade de 6 a 15 anos precisam conservar a frequência mínima de 85% na escola e de 75% para adolescentes com idade de 16 e 17 anos. 

Crianças com idade inferior a 7 anos devem ter o cartão de vacinação atualizado e ainda devem frequentar postos de saúde para o acompanhamento da saúde da criança. 

Já as gestantes devem realizar o acompanhamento pré-natal e frequentar as ações educativas sobre alimentação e aleitamento materno promovidas pelo Ministério da Saúde. 

Também é colocado o acompanhamento médico para mulheres com idade entre 14 a 44 anos. 

Auxílio Brasil e a falta de subsídios 

Muito tem se falado do novo programa que deve assumir o lugar do Bolsa Família. O Auxílio Brasil estava sendo cotado como o carro chefe da campanha eleitoral do atual Presidente da República. 

A princípio a intenção era elevar o valor do benefício e aumentar o número de famílias beneficiárias, mas com a atual situação fiscal do Brasil o orçamento acabou sendo igual ao do Bolsa Família. 

Fonte: JornalContábil | 10/09/2021