NASA pousa um helicóptero em Marte, primeira vez que uma aeronave voa em outro planeta

A NASA voou com sucesso seu helicóptero de 1,8 kg da superfície de Marte na manhã desta segunda-feira, o primeiro voo motorizado de uma aeronave em outro planeta, um feito que os oficiais da NASA compararam com o primeiro voo dos irmãos Wright em 1903.

Por volta das 3h30, as pás gêmeas do rotor de fibra de carbono começaram a girar fortemente, e o helicóptero, chamado Ingenuity, decolou da superfície do Planeta Vermelho, atingindo uma altitude de cerca de 3 m, onde pairou, girou e pousou suavemente em um vôo autônomo que durou apenas 30 segundos, disse a agência espacial.

Dentro do centro de operações de voo do Laboratório de Propulsão a Jato (LPJ) da NASA na Califórnia, os engenheiros aplaudiram quando a confirmação do voo chegou, mais de três horas após o voo, em uma explosão de dados que viajou 286,4 milhões de km de Marte à Terra.

A atmosfera na sala tornou-se quase eufórica quando uma foto tirada do helicóptero capturou sua sombra no solo, seguida por um vídeo do vôo da aeronave, capturado nas proximidades pelo robô de Marte, Perseverance.

“Agora podemos dizer que voamos um helicóptero em outro planeta”, disse MiMi Aung, gerente do programa Ingenuity da NASA, aos ocupantes da sala de controle de voo, todos mascarados para se proteger contra o coronavírus.

“Nós juntos voamos em Marte. Juntos temos o momento dos nossos irmãos Wright. ”

Ela acrescentou: “não sabemos pela história o que Orville e Wilbur Wright fizeram após seu primeiro voo bem-sucedido. Mas imagino que os dois irmãos se abraçaram. Bem, vocês sabem, eu estou abraçando vocês virtualmente.”

Os cientistas dizem que o teste bem-sucedido pode ajudar a agência espacial a vagar mais rapidamente por Marte, em busca de sinais de vida antiga.

Voo do Ingenuity

Para fazer o breve voo, a tecnologia do Ingenuity teve que superar a atmosfera superfina de Marte, apenas 1% da densidade da Terra, o que torna mais difícil para as hélices dos helicópteros, girando a cerca de 2.500 rotações por minuto, para gerar sustentação.

Foi um acréscimo triunfante para a parte principal da última missão da NASA a Marte, o robô Perseverance, um veículo do tamanho de um carro criado para explorar uma cratera que antes continha água e poderia fornecer pistas sobre a história do planeta e se a vida já existiu lá.

O Ingenuity, com quatro pernas finas e um painel solar e custando cerca de US $80 milhões, fez a longa jornada até Marte guardado no chassi do veículo espacial.

Como uma homenagem aos irmãos Wright, o Ingenuity tem um pedaço de tecido do tamanho de um selo da aeronave dos irmãos, conhecido como Flyer, preso a um cabo sob o painel solar.

Se tudo correr conforme o planejado, o helicóptero pode fazer até cinco voos nas próximas semanas, cada um mais ambicioso que o anterior.

O segundo, por exemplo, voaria um pouco mais alto, a 4,8 m, e depois horizontalmente por pouco tempo antes de retornar ao local de pouso.

Aung disse a sua equipe para comemorar, para aproveitar o momento, mas acrescentou: “Este é apenas o primeiro voo. Vamos voltar ao trabalho e fazer mais voos.”

O voo foi originalmente programado para ocorrer na semana passada. Mas durante um teste dos rotores do helicóptero, houve um problema que o impediu de completar a avaliação.

Os engenheiros do LPJ foram capazes de diagnosticar o problema e estavam confiantes na correção.

Mas, entrando no voo na segunda-feira, eles disseram que qualquer coisa muito difícil e audaciosa poderia facilmente gerar problemas.

“Estamos fazendo tudo o que podemos para torná-lo um sucesso, mas também sabemos que podemos ter que melhorar e tentar novamente”, escreveu Aung em um blog no site da NASA antes do voo.

“Na engenharia, sempre há incerteza, mas é isso que torna o trabalho com tecnologia avançada tão empolgante e gratificante.”

Fonte: Jornal Contábil | 19/04/2021