Pesquisa mostra que 47% dos brasileiros não configurou novo limite para Pix

Uma pesquisa do C6 Bank/Ipec mostrou que quase metade do brasileiros ainda não configurou um novo limite para o Pix. No total, 47% dos usuários das transferências instantâneas ainda não definiu novos valores no sistema. Mesmo assim, mais de 70% sabem que dá para ajustar os limites máximos dos pagamentos pela ferramenta.

“O ideal é que as pessoas ajustem os limites diário e noturno de transações com Pix para o menor valor possível, de acordo com seus gastos diários. Assim elas ganham mais segurança no app e controle nos gastos, sem perder em praticidade no dia a dia”, explicou José Luiz Santana, chefe de cibersegurança do C6 Bank.

O levantamento ainda indicou que 36% dos usuários definiram novos valores, quanto 6% apenas fez a alteração em um dos bancos que usa. Já 12% não lembrar se chegaram a configurar alguma alteração no limite do Pix. Essa mudança pode ser feita diretamente no aplicativo da instituição financeira.

 

GOLPES

Além de perguntar sobreo limite do Pix, o estudo ainda ouviu as pessoas quanto a fraudes. Os números mostram que quase 30% dos entrevistados já foi alvo de investidas de golpistas, com outra pessoa tentando realizar compras ou contratar serviços em seu nome.

Para se proteger, o ideal é usar senhas seguras nos aplicativos de bancos e e-commerces. Também é importante não salvar os dados do cartão nessas plataformas de comércio virtual, dando ainda preferência ao cartão virtual na hora de fazer compras.

“O cartão virtual é mais seguro para fazer compras online, pois o código de verificação utilizado para validar a transação é trocado periodicamente. Assim, fica mais difícil fraudar esses dados. Além disso, em caso de perda ou furto do cartão físico, o cliente pode continuar usando o virtual”, emendou Santana.

A pesquisa do C6 Bank/Ipec ouviu 2 mil brasileiros, integrantes das classes ABC e com acesso à internet. O levantamento foi realizado entre os dias 20 e 27 de maio e tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Fonte: OlharDigítal | 20/06/2022