Como escolher os melhores BDRs para investir na bolsa brasileira? Veja 3 dicas!

Se expor ao mercado internacional pode ser uma decisão interessante para a sua carteira de investimentos. Afinal, essa estratégia permite que você dolarize o seu patrimônio, diversifique o portfólio e diminua os riscos de estar exposto somente ao mercado brasileiro.

Nesse sentido, pode valer a pena conhecer os melhores BDRs disponíveis. Essa modalidade possibilita que investidores façam aportes em alternativas de outros países diretamente de sua conta no Brasil. Com isso, fica mais prático aproveitar os benefícios da exposição internacional.

Neste artigo você entenderá o que é e como funciona essa modalidade e conhecerá 3 dicas para investir nos melhores BDRs da bolsa de valores. Aproveite a leitura!

O que são BDRs?

Antes de conhecer as dicas para investir em BDRs, é importante saber o que eles representam. A sigla designa os brazilian depositary receipts, que também podem ser chamados de certificados de depósitos de valores mobiliários.

Os BDRs são uma modalidade de investimento disponível na bolsa de valores brasileira, a B3, com lastro em um ativo internacional. Logo, os investidores estarão se expondo ao mercado global a partir de sua atual conta de investimento no Brasil.

Esses certificados podem ter lastro em empresas de capital aberto, cotas de exchange traded funds (ETFs) e títulos de dívidas de outros países. Desse modo, os ganhos dos investidores dependem da variação dessas alternativas, podendo haver valorização ou desvalorização.

No passado, os BDRs eram alternativas restritas a investidores qualificados. Entretanto, desde 2020 já existem oportunidades disponíveis para o público em geral da bolsa de valores. Logo, é possível encontrar boas opções entre os melhores BDRs da B3.

Contudo, vale destacar que os BDRs não são um investimento direto. Ou seja, você não está se tornando um acionista de uma empresa internacional ao adquirir o certificado dela, por exemplo. A exposição se dá de forma indireta, já que o certificado representa o ativo no qual ele tem lastro.

Como os BDRs funcionam?

Como você viu, os BDRs são uma alternativa de investimento que garante acesso ao mercado internacional de maneira prática. Mas é importante conhecer o seu funcionamento antes de realizar aportes nesses certificados.

Nesse sentido, a emissão dos BDRs acontece a partir da compra das alternativas no mercado estrangeiro por uma instituição depositária brasileira. Posteriormente, ela deve manter as ações, cotas ou títulos de renda fixa sob custódia.

Com isso, é possível emitir os certificados lastreados neles na bolsa brasileira. A paridade pode variar de acordo com a estratégia e o planejamento do emissor. Logo, um BDR pode não ser equivalente a uma cota inteira de ETF, mas a uma fração dela.

Além disso, vale saber que os certificados podem ser patrocinados ou não patrocinados. No primeiro caso, a emissão deles acontece a partir de uma parceria entre a organização internacional e a instituição depositária do Brasil.

Em relação aos BDRs não patrocinados, a iniciativa de emissão parte apenas da instituição nacional. Dessa maneira, não há envolvimento direto do emissor do ativo estrangeiro. Essas alternativas são as mais comuns disponíveis na bolsa brasileira.

Para garantir os direitos de quem adquiriu o BDR, a instituição depositária monitora os relatórios dos ativos em que investiu. Assim, uma das atribuições dela é manter os investidores brasileiros informados sobre os materiais que recebeu da empresa que dá lastro ao ativo, por exemplo.

Quais são as vantagens de investir em BDRs?

Agora que você entendeu o que são e como funcionam os BDRs, é preciso conhecer as vantagens que eles podem trazer para sua carteira. Assim, você terá uma maior clareza para avaliar se o investimento vale a pena.

Confira!

Exposição internacional

A exposição internacional é uma das principais vantagens que os BDRs oferecem aos investidores. Afinal, essa alternativa permite que eles façam aportes indiretos nos ativos presentes no mercado estrangeiro.

Adicionar ativos internacionais na sua carteira pode ser benéfico para a sua estratégia de investimentos. Isso acontece porque você está atrelando essa parcela do patrimônio a outras moedas — como o dólar.

Além disso, o investimento no mercado global possibilita que você diminua os riscos de estar exposto somente ao mercado brasileiro. Como o aporte será feito em uma oportunidade de outro país, eventuais oscilações da economia nacional podem não afetá-lo diretamente.

Outro ponto relevante sobre a exposição internacional é ter acesso a grandes empresas que não estão listadas na bolsa brasileira. Já caso o investimento seja em um BDR de ETF, a vantagem é se expor a relevantes índices globais.

Diversificação da carteira

Ao ler sobre a exposição internacional, você pode perceber que os BDRs também são interessantes para a diversificação da sua carteira. Essa prática ajuda na diluição dos riscos do seu portfólio e permite encontrar melhores oportunidades de retorno.

Como vimos, o desempenho dos BDRs não tem uma relação direta com a performance da bolsa brasileira — mesmo sendo negociados nesse ambiente. Logo, a boa performance de uma empresa estrangeira pode mitigar os impactos negativos de possíveis maus resultados dos seus investimentos no Brasil.

Recebimento de dividendos

Assim como acontece no mercado brasileiro, empresas internacionais podem fazer o repasse de proventos, como os dividendos, aos seus acionistas. Então você pode ser incluído na divisão ao investir em BDRs.

Nesse caso, a instituição depositária brasileira receberá os repasses da empresa internacional. E será responsabilidade dela repassar os montantes aos investidores — proporcionalmente à quantidade de certificados que cada um possui.

Além disso, vale saber que fundos de investimentos internacionais também podem fazer divisão de lucros entre seus cotistas, diferentemente do que acontece no Brasil. Assim, investir em um BDR de fundo de índice pode funcionar para uma estratégia com foco em renda passiva.

Praticidade para investir

Outro ponto de destaque dos BDRs é a praticidade que eles apresentam aos investidores. Afinal, para aportar neles não é preciso abrir uma conta diretamente no mercado internacional. Assim, você pode se livrar de burocracias e de custos com transferência internacional.

Por serem negociados na B3, os BDRs oferecem maior praticidade e agilidade. Todas as movimentações acontecem diretamente na bolsa brasileira e o aporte é feito em reais. Assim, eles representam facilidade para a exposição internacional.

Quais são os riscos e as desvantagens desse investimento?

Além das vantagens, é preciso ter atenção aos riscos de investir em BDRs. Como esse é um investimento de renda variável, os investidores estão expostos ao risco de mercado. Ele diz respeito às oscilações de preço às quais os certificados estão suscetíveis.

Desse modo, uma crise no mercado de origem do ativo pode impactar o seu desempenho e, consequentemente, a cotação do certificado. Além disso, os BDRs estão expostos à variação cambial. Com isso, oscilações negativas do dólar, por exemplo, são capazes de afetar seus resultados.

O risco de liquidez é outro que pode incidir sobre os brazilian depositary receipts. Isso porque a negociação de BDRs pode acontecer em menor volume do que outras alternativas. Logo, existe a possibilidade de investidores encontrarem dificuldades para negociar os certificados.

Ademais, há a incidência do Imposto de Renda (IR) sobre os ganhos com esse investimento — e os BDRs não apresentam faixa de isenção. A cobrança ocorre quando o investidor obtém lucros ao vender o certificado.

As alíquotas são de 20% para operações em um mesmo pregão e 15% para as operações com duração superior a um dia. De maneira similar à negociação de ações e cotas de ETF, o investidor realiza o pagamento do Imposto de Renda por meio do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF).

Também vale considerar que, em alguns países, como os Estados Unidos, há a tributação dos dividendos. Logo, caso você invista em BDRs de companhias norte-americanas, seus recebimentos virão com esses descontos.

Como escolher os melhores BDRs com 3 dicas?

Entendeu os principais aspectos relativos ao funcionamento dos BDRs? Para complementar seus conhecimentos, é preciso saber como encontrar as melhores alternativas na bolsa brasileira.

Confira 3 dicas!

1.      Identifique o seu perfil de investidor

A primeira dica para encontrar os melhores BDRs na B3 é identificar o seu perfil de investidor. Essa compreensão é fundamental para determinar sua tolerância aos riscos nos investimentos.

Os BDRs de ação e fundos de índices, por exemplo, trazem mais riscos e não garantem lucros aos investidores. Desse modo, eles costumam se adequar melhor às carteiras de investimento moderadas e arrojadas.

Por outro lado, existem BDRs com lastro em títulos de renda fixa ou ETFs dessa classe. Assim, mesmo que a negociação ainda aconteça na bolsa de valores, eles podem estar menos suscetíveis às oscilações do mercado. Portanto, investidores de perfil conservador podem analisá-los.

2.      Trace objetivos e prazos

A segunda dica para encontrar os melhores BDRs para o seu caso é traçar objetivos. Afinal, as suas metas servirão como um guia para a montagem da sua carteira. Em alinhamento com esses objetivos, é preciso que você estipule se eles serão de curto, médio ou longo prazo.

Desse modo, você terá mais facilidade para encontrar as alternativas de investimento que mais o aproximem das suas metas. Então será mais simples encontrar os BDRs que estão em concordância com os resultados que você busca alcançar.

3.      Faça uma análise do ativo no qual o BDR é lastreado

Por último, você deve fazer uma avaliação das características do ativo internacional. Se ele for uma ação, por exemplo, o processo deve ser similar à análise fundamentalista de ações brasileiras. Ou seja, você deve conhecer as principais informações relacionadas à operação da companhia.

Nesse sentido, é importante avaliar seus indicadores fundamentalistas, a estratégia da gestão e as projeções de crescimento para o mercado que a empresa atua. Logo, você terá maior clareza sobre o potencial que ela pode trazer à sua carteira.

No caso de um BDR de ETF, é indispensável analisar alguns fatores do fundo de índice internacional. Os principais são: o benchmark que ele usa como referência, os ativos que compõem seu portfólio e os critérios de elegibilidade deles.

A avaliação do ativo ligado ao BDR é fundamental porque, mesmo fazendo o investimento de maneira indireta, você ainda estará exposto aos resultados positivos e negativos dele. Por isso, não deixe de fazer uma análise para visualizar as vantagens e riscos de cada alternativa.

Como investir em BDRs?

Agora que você sabe como encontrar os melhores BDRs na bolsa brasileira, é importante saber como realizar seus investimentos.

Veja o passo a passo!

Abra sua conta em uma corretora

O primeiro passo é abrir sua conta de investimentos em uma corretora de valores autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Será por meio da plataforma dela que você conseguirá fazer a alocação de capital e monitorar os resultados.

Assim, é importante analisar o funcionamento da instituição. Você deve conhecer alguns elementos relacionados a ele, como as taxas que a corretora cobra em cada operação, o funcionamento da plataforma e como os clientes avaliam o serviço oferecido.

Acesse o home broker

Depois de ter a conta aberta, será o momento de acessar o home broker da corretora. É essa a ferramenta que permite que você realize suas movimentações na bolsa de valores. No home broker, você deve buscar o BDR pelo ticker.

Esse é o código de identificação do certificado na bolsa. Ele é composto por 4 letras e os números 34 ou 39 no final — para BDRs de ações e ETFs, respectivamente. O BDR da Apple, por exemplo, é o AAPL34, enquanto o da Meta (antigo Facebook) é FBOK34.

Emita a ordem de compra

Ao encontrar o BDR da sua escolha, você deve emitir a ordem de compra. A liquidação da operação pode acontecer dentro de poucos dias úteis e você terá os certificados em seu portfólio.

Diversifique sua carteira

Por fim, lembre-se de que é fundamental diversificar sua carteira de investimentos. Como vimos, essa prática é importante para diluir os riscos presentes em seu portfólio e possibilitar o alcance de melhores resultados em suas movimentações.

Caso faça sentido com a sua estratégia, você pode investir em mais de um BDR e diversificar entre certificados de ações e de ETFs. Além disso, vale considerar compor a carteira com ativos de diferentes países. Assim, você adiciona mais condições ao portfólio e reduz riscos.

Estude o mercado internacional

Continuar estudando sobre o mercado internacional é interessante para que você tenha melhores resultados. Desse modo, mesmo após realizar seus investimentos, vale ficar atento a novas tendências e oportunidades que podem surgir internacionalmente.

Com isso, você pode avaliar outros BDRs entre os melhores da bolsa e diversificar o seu portfólio, segundo sua estratégia. Assim, há como ampliar o potencial de rentabilidade da sua carteira ou reduzir os riscos.

 

Fonte: OGuiaFinanceiro | 02/04/2022