Orçamento doméstico: solução para melhor qualidade de vida

"A felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos do que temos." Thomas Hard

A professora Cleide Silva não consegue contar com um pouco de dinheiro, ao final de cada mês, para passear com os filhos no parque de diversões. Mesmo com muita economia, ela não sabe onde há expressivos gastos no seu orçamento. Este é o grande problema de Cleide: não conhecer a própria despesa mensal. A economia doméstica nada mais é do que o planejamento e conhecimento de seus gastos.

Para o economista Valdemir Pires, o segredo das finanças pessoais, ou familiares, é a combinação de consumo consciente (compara satisfação e custo) com utilização inteligente (maior produtividade possível). “Enriquecer é a primeira máxima das finanças pessoais. Não empobrecer é a segunda”, afirma Pires em seu livro “Finanças Pessoais”. Inicialmente, produza uma lista com todos os seus gastos para ter uma visão geral do seu orçamento.

Principais despesas

No conjunto das despesas, algumas se destacam pela presença constante no orçamento doméstico: moradia, alimentação, educação, higiene pessoal e beleza, vestuário, transporte e saúde. No quesito alimentação, para economizar, Pires recomenda a utilização de uma lista com os produtos consumidos, a quantidade e a compra realizada em períodos regulares, de acordo com a estocagem da despensa.

“A lista acompanha a evolução dos preços”, diz o autor do livro. A despensa deve conter a quantidade necessária para um mês. Organizar cardápios para uma semana também facilita na hora das compras e garante uma alimentação saudável, higiênica e mais barata que a realizada fora de casa. Comer em restaurantes, somente por prazer, gera uma despesa de lazer, muito mais do que de alimentação. Outra dica importante: nunca faça compras com fome.

Os quesitos de higiene e beleza ganharam proporções inimagináveis na atualidade. É preciso bom senso e ponderação. No item vestuário, a dica do economista é aproveitar as liquidações no final das estações. Além de preço baixo, não se corre o risco de pagar mais no início da estação e da moda “não pegar”. Hoje, o consumismo ultrapassou todos os limites. Há, inclusive, um movimento mundial que criou o dia do “não comprar”.

Todas estas dicas evitam o endividamento, responsável por um desgaste emocional que pode trazer problemas pessoais e profissionais. Pedir empréstimo pode comprometer sua imagem com os amigos e à família. Portanto, não gaste mais do que você ganha.

Fique sempre em dia!

Obrigações do dia: 21/Junho/2024 – 6º Feira.

Obrigações do dia: DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.

Últimas Notícias

Selic em 10,5% anima mercado e decepciona setor produtivo; entenda

Após sete cortes consecutivos, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil decidiu nesta quarta-fe [...]

Saiba mais   

MEI’s Poderão Ter Direito Ao Seguro-Desemprego

O Governo Federal avalia novas propostas que podem beneficiar diretamente os Microempreendedores Individuais (MEIs). Entre os possíveis bene [...]

Saiba mais   

Copom: voto unânime na Selic em 10,5% pode embaralhar sucessão do BC

“Manteu”, como todo mundo esperava. E por unanimidade, como todo mundo torcia. Os nove integrantes do Copom votaram pela manutenç [...]

Saiba mais   
Todas as Notícias